A woman cheating on her husband; a naked woman with a chastity belt sits on a bed with her foot on a chest and offers a key to a finely attired man with fool's ears; two figures observe the scene from the shadows and a fool empties a sheet of lice(?) into a basket; a satire

Cinto de castidade

Fila do supermercado. Duas adolescentes conversam sobre um rapaz, namorado de uma delas.

̶ Deixa eu te falar então, já quebrei o pau com ele ontem.
̶ Ah, já? Mas por quê?
̶ Ah, guria, entrei no Insta dele e tá, de boa, né? A última fotinho dele ̶ maravilhosa, por sinal, desculpa… ̶, cheia dos likezinho de umas guria que eu nem sei quem é. Ah, entrei no perfil de uma por uma. Tinha cinco que eram aqui das área mesmo. Ah, já me indignei.
̶ Ai, guria, mas aí já é demais, tu não acha? Como que ele vai controlar isso?
̶ Ah, querida, ele que se vire. Cinco gambevinha de olho no meu boy, que é isso? Devem ser tudo ali do Intendente, que ali só tem dessas, né?
̶ Mas perfil público é isso, amiga. Ele não tem controle, qualquer pessoa do mundo pode ver e curtir.
̶ Como assim público? Como que arruma isso?
̶ Ele tem que botar o cadeadinho que nem no Twitter. Só quem ele aceita vai ver as fotos dele.
̶ Ah, mas deixa que eu já resolvo isso agora. Vai botar cadeadinho é hoje senão já pode ir se acampando lá no Intendente com as fãzinha dele.
̶ Hahahahaha, meu deus, guria, tu é fogo mesmo, hein?
̶ Ah, eu sô mesmo, amiga. Se quer ficar comigo, é com as minhas regras, senão já vai andando que a fila tá grande!

* * *

Moral da história: use cadeadinho e não marque bobeira perto da Escola Básica Intendente José Fernandes, na Praia dos Ingleses, Florianópolis.

Published by

Sandro Brincher

Eu sou aquele que, de fones nos ouvidos, através da janela empoeirada do ônibus, perscruta os paralelepípedos irregulares da calçada de um parque à procura de alguém que tenha, ao resgatar do fundo das algibeiras um maço de cigarros molhados pela chuva que acaba de dar trégua, derrubado um bilhete premiado de loteria.

Leave a Reply